Menu de Navegação

Arcoverde tem pior gestão dos últimos 10 anos segundo a Firjan


O município de Arcoverde, governado pela socialista Madalena Britto (PSB), registrou em 2016 uma gestão fiscal crítica segundo os dados da nova edição do Índice FIRJAN de Gestão Fiscal (IFGF), divulgado nesta quinta-feira (10), pelo Sistema FIRJAN (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), com base em dados oficiais declarados pelas prefeituras à Secretaria do Tesouro Nacional (STN). Entrou no rol das cidades de maus gestores do Estado de Pernambuco ao lado de outras

No ranking do estado Arcoverde ocupa agora a 88ª posição com um índice de 0,3756, atrás de cidades como Inajá (77ª), Afogados da Ingazeira (66ª), Venturosa (55ª) e Tupanatinga (53ª).

Os três primeiros colocados no IFGF foram Triunfo (0,6895), Casinhas (0,6780) e Jurema (0,6330). A capital do Estado, Recife, ocupa a 9ª posição com um índice de 0,5958. Quanto mais próximo de 1 melhor o índice do município.
O índice avalia cinco pontos: receita própria, gastos com pessoal, investimentos, liquidez e custo da dívida. No tocante a receita própria, Arcoverde registrou um conceito C (Gestão em Dificuldade), com um índice de 0,4240. Isso significa que a prefeitura não tem conseguido melhorar seu nível de arrecadação própria. Nos gastos de pessoal o índice já é melhor, com 0,6109 pontos, ficando com um conceito B (Boa Gestão).

O maior e mais negativo número da Gestão Fiscal do Governo Madalena Britto em 2016 é o de Investimentos, aquele direcionado a realização de obras e projetos em todo o município. Ficou com o conceito D, que significa Gestão Crítica com 0,2217 pontos.
Em comparação com o primeiro ano de governo, 2013, o Índice Firjan de Gestão Fiscal teve uma retração de 1,1% ou 0,0045 pontos saindo da posição de 64º para a atual de 88º. Ou seja, o governo não melhorou em nada a gestão fiscal em Arcoverde durante quatro anos.

No tocante a Receita Própria foi pior ainda, pois saiu de um índice de 0,5251 para 0,4240. Ou seja, uma retração de 19,25%. Arrecadou-se menos ou que também acabou refletindo na queda dos investimentos que em 2014 chegou a 0,7149 e no comparativo com o ano passado representa uma queda de 68,98%.

O melhor índice de investimento registrado pelo IFGF para Arcoverde ocorreu em 2010, no governo do então prefeito Zeca Cavalcanti, quando o município alcançou o índice de Excelência com a pontuação máxima de 1,000. Neste ano, o IFGF ficou em 0,5336 e Arcoverde na 30ª posição.
Banner

Posta Comentarios: