CATEGORIAS

Recentes

Destaques

Menu de Navegação

Vereadores de Arcoverde aprovam Bolsa Desconto para AESA


Apresentado em regime de urgência pela presidente da Câmara Municipal de Arcoverde, vereadora Célia Almeida (PSB), o projeto que institui o Programa Bolsa Desconto para a Autarquia de Ensino Superior de Arcoverde – AESA, foi aprovado por unanimidade nesta segunda-feira (19).

O programa institui um desconto de 50% nas mensalidades para os estudantes de apenas três cursos: Letras, Geografia e História. Hoje, a mensalidade desses cursos custa R$ 320. Com a bolsa, cai para R$ 160. Segundo a vereadora Célia, os cursos hoje passam por dificuldades devido ao número reduzido de alunos e com a aprovação da Bolsa Desconto a expectativa é de novos alunos procurarem esses cursos.

O Bolsa Desconto terá validade de seis (6) meses, podendo ser prorrogado a cargo da AESA, que ficará responsável pela regularização e funcionamento do programa. Os alunos destes cursos que estiverem no último período não terão direito a bolsa que serão definidas através de um processo seletivo.

De acordo com o projeto aprovado, os deficientes terão prioridades na concessão das bolsas, mas caso sobrem elas serão distribuídas com os demais alunos devidamente matriculados e que cumpram 75% da freqüência nas aulas. Só terá direito ao desconto os estudantes contemplados que pagarem a mensalidade até o dia previsto de pagamento. Em caso de atraso, o desconto perde a validade.

A contrapartida dos estudantes será desenvolver atividades educativas nas instituições públicas, bem como estágios em órgãos públicos e trabalhos de pesquisas. A boa nova é que os feras que vão se submeter ao vestibular agora no meio do ano já poderão usufruir das bolsas, desde que sejam aprovados e estejam cursando os cursos de Letras, Geografia e História.

Câmara de Arcoverde: Projeto que institui o Programa de Gestão participativa de bens e áreas públicas do município de Arcoverde passa pelo crivo das comissões

O projeto de autoria da Prefeitura de Arcoverde que institui o Programa de Gestão participativa de bens e áreas públicas no âmbito municipal passou na noite da última segunda feira pelo crivo dos vereadores, que apreciaram as observações das comissões do Legislativo Municipal. O projeto determina que bens de uso comum, bens especiais e bens dominicais poderão ser objeto de gestão participativa mediante definição do Poder Executivo, que poderá a paritr da aprovação da lei, celebrar parcerias com pessoas físicas e jurídicas de qualquer natureza para implantar, revitalizar, requalificar, fiscalizar, usar e conservar áreas e equipamentos de utilização pública. A vereadora Cybele Roa explicou o que é o projeto e qual o trabalho que foi desenvolvido pela comissão, que é integrada ainda pelas vereadoras Cleriane e Zirleide Monteiro.
Banner

Posta Comentarios: