CATEGORIAS

Recentes

Destaques

Tecnologia do Blogger.
Menu de Navegação

Vereadora Zirleide pede por calçamentos e lamenta gastos excessivos com refeições


Durante a sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Arcoverde na noite desta terça-feira (23), a vereadora Zirleide Monteiro (PTB), levou a tribuna um apelo de moradores do bairro do São Miguel que há tempos esperam pelo calçamento de suas ruas.

Várias dessas artérias eram para estarem pavimentadas já que, em 2012, foi feita uma licitação pelo ex-prefeito e hoje deputado federal Zeca Cavalcanti (PTB), para calçar essas ruas, mas a obra não prosseguiu no governo de sua sucessora.
De acordo com Zirleide, moradores de pelo menos cinco ruas lhe procuraram para que fizesse esse apelo pela pavimentação das artérias já que as promessas de fazer isso se repetiram em 2014 e 2016, mas até agora nada. Na lista estão as ruas Antonio Napoleão, Antonio de Moura Cavalcanti, Baraúnas, 1º de Maio e Getúlio Vargas. A parlamentar trabalhista fez o requerimento solicitando as pavimentações.
A vereadora também pediu que a mesma atenção fosse dada ao Jardim Petrópolis que espera pelos tão sonhados calçamentos feitos durante a campanha da atual prefeita. Recentemente, a prefeitura respondeu ao Ministério Público que não podia fazer a obra porque não tinha recursos próprios para isso.
Em conversa com a reportagem, a vereadora Zirleide Monteiro lamenta que o governo fique dizendo que não tem recursos para sanear as ruas e promover suas pavimentações, principalmente nas áreas mais carentes, mas consegue arranjar dinheiro para gastar com refeições para as secretarias que funcionam até às 13h. Somente este ano já foram pagos R$ 75 mil de refeições e já estão empenhados mais R$ 375. Isso sem contar uma nova licitação de R$ 120 mil para a Secretaria de Saúde que está em andamento.
Segundo a vereadora, a prefeitura precisa inverter suas prioridades. “Não é concebível que se gaste em 4 anos mais de R$ 1 milhão com refeições para secretarias que funcionam até uma da tarde, como ocorreu entre 2013 e 2016, e já se acumule quase meio milhão em empenhos e licitações com refeições somente este ano, enquanto os bairros ficam desassistidos, sem calçamentos, sem saneamento e até a ultrassom do centro de especialidades médicas sem funcionar há mais de mês”, disse a parlamentar.

“A prefeitura tem que priorizar o trabalho, as obras para o povo, e não refeições para atender suas secretarias. Precisamos de menos comida no governo e mais trabalho”, concluiu Zirleide Monteiro.
Banner

Posta Comentarios: